Review :: The 100 3×01/02/03 – Wanheda

the-100

 

The 100 retornou para sua terceira temporada que ficou prometendo muito! Como eu estava sem notebook, não pude acompanhar os lançamentos dos episódios junto com os reviews, mas agora falarei dos três já lançados. E para não ficarmos meio voando, bora fazer um breve resumo das outras temporadas.

Contém spoilers.

Continuar lendo

Anúncios

O que esperar da segunda parte da 6ª temporada de Pretty Little Liars? (Com Spoilers)

Desktop5

A primeira parte da 6ª temporada terminou com a revelação do misterioso e perigoso “A”. Os quebra cabeças foram resolvidos, as pontas soltas foram ligadas, mas a série Pretty Little Liars parece está longe de chegar ao final. Na última cena da primeira parte da temporada vemos as nossas Liars em uma situação perigosa que pode significar a existência de um outro “A”. Como eu já disse em um outro momento: tem pessoas que simplesmente não sabem a hora de parar. Já vimos esse mesmo roteiro repedido mais de uma vez nessa série, porém ainda me vejo atraída a continuar assistindo. Por essa razão, vim aqui fazer as minha suposições sobre o que pode acontecer nos episódios finais da 6ª temporada de PLL.

Continuar lendo

Série: Scream

Esse artigo eu escrevi para publicar no meu blog como o especial mês do horror, mas como ele é um artigo extra também resolvi compartilhar por aqui; Afinal uma série tão bacana merece ser bastante divulgada.


Título em Português:
Pânico
Diretor: Jamie Travis, Tim Hunter
Distribuidora: MTV | Netflix*
Ano: 2015
Elenco:Willa Fitzgerald, Bex Taylor-Klaus, John Karna, Amadeus Serafini, Tracy Middendorf, entre outros.
Saiba mais no Filmow
Onde assistir: Netflix

Sinopse: Depois de um incidente de cyber-bullying resultar em um assassinato brutal, a violência reacende a memória de uma série de assassinatos que ocorreram no passado em Lakewood, que intrigaram alguns e talvez tenham inspirado um novo serial killer. Um grupo de adolescentes, com dois velhos amigos tentando se reconectarem, se tornam amantes, inimigos, suspeitos, alvos e vítimas de um assassino que está à procura de sangue.

Continuar lendo

Séries :: Scream Queens

Screen-Shot-2015-06-01-at-9.53.03-AM-620x400

Sinopse: A Universidade Wallace é abalada por uma série de assassinatos. A Kappa House, a fraternidade mais cobiçada do campus, é governada com mão de ferro (e luva cor-de-rosa) por sua Rainha “Bitch” Chanel Oberlin (Emma Roberts).

Quando a ex-Kappa Reitoria Munsch (Jamie Lee Curtis) decreta que todos os alunos do campus podem se inscrever para participar da fraternidade, a universidade vira um inferno, como um assassino vestido de diabo causando estragos, fazendo uma vítima a cada episódio.

Scream Queens é uma visão moderna para o formato clássico de suspense em que se tenta descobrir quem é o assassino, no qual todo personagem tem algum motivo para matar, ao mesmo tempo em que pode se tornar a próxima vítima encharcada de sangue.

A série Scream Queens é a nova série dos criadores Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan, responsáveis por “Glee” e “American Horror Story”, cuja estreia ocorreu em um episódio duplo esta semana (na terça-feira, dia 22/09). Além de possuir criadores já reconhecidos pelo público, a série conta com atores bastante conhecidos também (Jamie Lee Curtis, Emma Roberts, Keke Palmer, Abigail Breslin, Nick Jonas, entre outros).

sc03Eu tinha feito uma promessa de que não assistiria à série, não somente pela falta de tempo, mas porque não sou fã do gênero terror, uma vez que a série era apresentada como uma mistura de terror, mistério e comédia. Todavia, não resisti à curiosidade depois de ver as inúmeras fotos promocionais e os comentários. Se você tem medo de assistir à série por ser achar medroso (a) demais, não leve em consideração. Embora a série faça referência a inúmeros filmes de terror – talvez os amantes do gênero gostem disso -, ela parte em uma direção estilo “Todo Mundo Em Pânico” e acaba sendo hilária. Talvez eu tenha alguns problemas, pois algumas pessoas de fato sentiram um pouco de medo – e olha que eu sou bem medrosa -, mas eu ri muito no primeiro episódio, em função das cenas propositalmente trash.

Continuar lendo

Séries :: How to Get Away with Murder

Depois de uma pesada maratona da série How to Get Away with Murder é normal que você não seja capaz de dormi por algumas horas. Estou escrevendo essa postagem após passar uma madrugada tentando encaixar todas as peças desse quebra cabeça, algo que simplesmente não chegará a um resultado breve já que a 1ª temporada chegou ao fim. A única coisa que me resta a fazer é escrever essa postagem destacando todos os motivos para que você dê uma chance para How to Get Away with Murder.

 

how-to-get-away-with-murder-first-season.32058__63030_zoom

 

Continuar lendo

Série :: Sense8

O que falar sobre essa série que eu conheço a tão pouco tempo, mas já considero pacas?!

Uma das maiores dificuldades que eu encontro nesse momento é saber descrever Sense8 de forma coerente, sem que os meus sentimentos atrapalhem minha escrita analítica. Portanto, se de alguma maneira o meu entusiasmo por essa série for passada de forma clara para você, essa postagem já vai ter valido a pena.

sense8-poster

Sinopse:

A série foca em oito personagens espalhados pelo mundo que se ligam mentalmente e emocionalmente após uma morte trágica. Eles podem não só conversar entre si como ter acessos aos mais profundos segredos de cada um. Juntos eles precisam não apenas entender o que aconteceu e o porquê, como também fugir de uma organização que está atrás deles para capturá-los e estudá-los.

Continuar lendo

Série :: The Middle

Mais uma vez vou falar de algo que eu adoro: Série. Porém, desta vez, a série não é derivada de alguma adaptação literária.

Título: The Middle (Uma família Perdida no Meio do Nada)

Emissora: ABC (EUA); Warner & SBT (Brasil)

Estréia: 30/09/2009

Gênero: Comédia

Elenco: Patricia Heaton, Neil Flynn, Charlie McDermott, Eden Sher, Atticus Shaffer, entre outros

Onde comprar: Buscapé 

Sinopse: The Middle gira em torno de uma típica família de classe média do meio oeste americano (mais precisamente Indiana). Patricia Heaton [Everybody Loves Raymond] é Frankie, uma mãe de 3 filhos, uma excelente vendendora de carros, que tem lidar com as confusões da sua família.

The Middle é uma sitcom (situation comedy) Americana que está no ar desde 2009. Nela temos uma família de classe média que, de modo geral, passa por poucas e boas.

Quem não conhece pode se perguntar: Mas o que The Middle tem a ver com livros? Bom, muita coisa. A família Heck, protagonista da série, tem um filho caçula chamado Brick (Atticus Shaffer) que simplesmente ama ler.

Brick

Brick passa seus dias com a cara enfiada nos livros, assim como seu local preferido na cidade é a biblioteca. Ele é um garoto inteligente, mas um pouco desatento para as coisas da vida e tem uma mania de sussurrar para si mesmo.

Eu escolhi falar um pouco desse personagem, pois recentemente voltei a acompanhar a série e fui assistir ao primeiro episódio da terceira temporada (Forced Family Fun Pt 1 & 2) onde a família decide fazer uma viagem de férias e acabam indo para um acampamento nada legal. Mike, o pai, tenta fazer de tudo para que o menino tenha uma experiência bacana com a família, aproveitando os locais e o momento da melhor forma, porém o garoto esta sempre com a cara nos livros.

Mike: Muito bom, hein? Entende porque… Pelo amor de Deus, está lendo de novo? Pensei que estivesse deixado o livro no acampamento. Brick, não viemos aqui para ler e sim para passar um tempo juntos e desfrutar o lago.

Brick: Oh! Você quer saber algo sobre lago? Aqui diz que tem 200m no ponto mais profundo e é abastecido por oito córregos.

Mike: Sério? E qual é a cor?

Brick: Na foto é um pouco confuso. Talvez… Cinza ou…  Oh! Na verdade, está mais para azul e prateado. Eles deveriam por uma foto melhor nos livros para as pessoas poderem apreciá-lo.

Mike: Brick, você acabou de apreciá-lo e sabe por quê? Porque você olhou para ele. Você tem que olhar o lago, as árvores e a coisa toda

Brick: É, acho que sou mais um cara dos livros.

Mike: Como vou dizer. Pense nas árvores como pré-livros. Olhe, Brick, sabe as pessoas que escreveram esses livros?

Brick: Autores.

Mike: Eu sei como são chamados, Brick. A questão é, eles tiveram que fazer algo para ter o que escrever… Experimentar as coisas ao redor deles. Não se escreve um livro sobre ler um livro.

Brick: Na verdade fizeram: “A História Sem Fim”, publicado pela 1ª vez em alemão sob o título “Die Unendliche Geschichte “.  “Geschichte…”

Mike: Aqui.

Brick: E agora?

Mike: Bem… Agora nada. Agora sentamos e esperamos. Essa é a beleza. Muitas pessoas não entendem a beleza do silêncio, muitos que vivem em nossa casa.

Brick: É bem parecido como ficar de pé na fila do supermercado, só que com uma vara.

Mike: É, parece que sim.

Brick: O que está acontecendo? O que isso? Minha vara está envergada!

Mike: Você pegou um!

Brick: Sério? Peguei? Eu li sobre isso!

Mike: Sim. Gire o carretel. Não,  do outro jeito. Ok, dêum pouco de folga ou vai perdê-lo. Ai está. Você conseguiu! Ai está. Isso! Venha aqui! Você conseguiu! Bela pegada!

Brick: Uau! Um peixe. É assim que são os sticks de peixes no começo?

Mike: Não os que conseguimos comprar.

Em praticamente todos os episódios o personagem tem alguma situação que envolve livros, mas nesse caso me chamou muito a atenção, já que hoje em dia nós vemos muitas pessoas criando relações com seus livros como se eles fossem as únicas coisas importantes do mundo. Já vi páginas e grupo postando coisas do tipo “garota decente é aquela que gasta dinheiro com livros e não com maquiagem” e coisa desse tipo. Só porque eu sou garota e gosto de ler não significa que eu tenho que fazer dos livros a minha vida e deixar de lado gastar dinheiro com maquiagem, sapato ou roupa, entendem?

Também não acho que as pessoas devem viver/respirar livros 24 horas por dia. O mundo é belo, na maioria das vezes, e temos coisas na nossa cidade, família e amigos que devemos aproveitar sempre; Afinal o que fica no final de tudo são as lembranças.

Ah! Não me odeiem por falar isso. O fato é que nossa geração esta deixando de aproveitar muita coisa, não apenas por causa dos livros mas também por causa da internet/apps etc etc etc.

Beijos.

Série :: Under the Dome

Eu sou uma pessoa que adora séries e até antes de desenvolver minha paixão pela leitura passava minhas tardes apenas assistindo séries e mais séries.  Mesmo com a chegada da idade adulta e a falta de tempo sempre procuro me dedicar um pouco a essa antiga paixão; Então há uns três meses comecei a assistir uma série de adaptação literária de ninguém mais ninguém menos que Stephen King (meu gêmeo de aniversário distante).

Título: Under the Dome (Sob a Redoma)

Emissora: CBS (EUA); TNT & Rede Globo (Brasil)

Estréia: 24/06/13

Gênero: Sci-Fi, Drama, Suspense

Elenco: Mike Vogel; Rachelle Lefevre; Dean Norris; Britt Robertson; Alexander Koch; Colin Ford; Mackenzie Lintz; Natalie Martinez; Jolene Purdy; entre outros

Onde comprar: Submarino/Saraiva

Sinopse: Na trama, em um dia como outro qualquer em Chester’s Mill, no Maine, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões explodem quando tentam atravessá-lo e pessoas trabalhando em cidades vizinhas são separadas de suas famílias. Ninguém consegue entender o que é esta barreira, de onde ela veio e quando — ou se — ela irá desaparecer.
Os moradores de Chester’s Mill percebem que terão de lutar por sua sobrevivência. Pessoas morrem, aparelhos eletrônicos entram em pane ao se aproximar da redoma e a situação fica ainda mais grave quando a cidade se vê exposta às graves consequências ecológicas da barreira. Para piorar a situação, James “Big Jim” Rennie, político dissimulado e um dos três membros do conselho executivo da cidade, usa a redoma como um meio de dominar a cidade.

Pretendia começar a assistir a série sem ler o livro, mas pensei melhor sobre o assunto e decidi que estava mais do que na hora de ler algo do King (sim, com 23 anos nas costas nunca havia lido algo dele). Como o assunto hoje não será dedicado ao livro vou pular as considerações sobre a obra (MENTIRA, EU AMEI).

Bom, de cara, já no primeiro segundo já fica obvio que a série não vai ser nada igual ao livro. Nós estamos acostumados com isso nesse mundo de adaptações, mas como alguém que gostou do livro fica difícil – às vezes – aceitar algumas mudanças que eles fizeram na série.

É fácil perceber as mudanças simplesmente porque a série já foi renovada para a terceira temporada. Sim, apesar do livro ser extenso a única coisa realmente semelhante entre a série e o livro é apenas os nomes dos personagens e a redoma.

Primeira vitima.

A série nos mostra a pequena cidade de Chester’s Mill, localizada no interior de Maine, que misteriosamente é isolada por uma redoma. A redoma é o grande mistério que cerca a vida dos habitantes, mesmo que no inicio a série deu a impressão de que ela não seria, de fato, o assunto principal. No inicio o foco estava nos personagens, com a intenção de nos  mostrar suas reações diante do ocorrido mas tão logo que suas personalidades foram definidas a ponto de serem entendidas pelo expectador o foco voltou a ser a redoma.

Ao contrário do livro, onde não há personagem principal ou secundário – apesar de alguns ganharem mais destaque do que outros – na série temos uma grande demanda de personagens principais (e eu realmente digo principais, pois eles tem extrema importância para a história). São eles:

Dale “Barbie” Barbara: Um veterano de guerra que está apenas de passagem pela cidade e acaba preso na redoma. Por contar com uma experiência em sobrevivência em situações extremas, logo ele acaba se tornando um “líder” para alguns moradores da cidade.

Julia Shumway: Trabalha no jornal local. Sendo a jornalista da cidade é vista por muitos como fofoqueira; e apesar do seu jornal ficar em segundo plano na série a personalidade da personagem, assim como suas ações, opiniões são extremamente relevantes para as grandes decisões.

“Big Jim” Rennie: Vereador metido a fo!@# dono da cidade. Acha que os fins justificam os meios. Basicamente isso é tudo que precisamos saber sobre o personagem.

“The pink stars are falling; The pink stars are falling in line”

Junior: Filho do Big Jim. No inicio é um garoto odiável mas esse posto não dura por muito tempo, visando que – apesar de ser um garoto extremamente carente e que acaba cedendo aos caprichos do pai – ele tem algo inocente em sua personalidade e eu ouso dizer que as suas motivações é simplesmente o amor. É importante devido ao seu relacionamento com a redoma.

Norrie: Estava apenas de passagem pela cidade com suas mães (sim, no plural) quando a redoma caiu. Se torna importante devido ao seu relacionamento com a redoma.

Joe McAlister: É tipo o nerd da cidade. Ele ajuda Barbie e Julia com explicações sobre alguns acontecimentos sobre a redoma, porém sua maior importância se da ao devido do seu relacionamento com a mesma.

Angie McAlister: Irmã de Joe e ex-namorada de Junior. Não tinha importância para a história até ter seu relacionamento com a redoma.

Quando eu digo que o personagem tem um relacionamento com a redoma eu me refiro a influencia que esses personagens têm sobre ela, assim como ela sobre eles.

Uma das coisas que me incomodou ao assistir a adaptação foi a forma como os personagens podem ser tão flexíveis em suas convicções.

É extremamente fácil para Barbie, por exemplo, abaixar a sua cabeça diante de alguma ordem do Big Jim ou simplesmente deixar de lado o fato de que esse homem pode destruir a cidade inteira e trabalhar ao seu lado. Assim como pareceu extremamente fácil para Big Jim não ser o personagem que todos devem odiar com todas as forças do mundo; já que ele sempre acaba refletindo sobre seus atos em algum momento e percebe que estava errado e tenta, em um ato heroico, consertar o que houve.

Um dos fatores que, acredito eu, influenciam nessa mudança drástica da personalidade dos personagens do livro e da série é justamente por ser tratar de uma adaptação para a televisão onde é preciso muita cautela com o que é transmitido para o publico, lembrando que ninguém respeita a classificação etária.

De qualquer maneira é uma série que vale a pena assistir quando se assiste sem os preconceitos de adaptações. É claro que não da para deixar de comparar diversos pontos, mas ainda sim quem sai ganhando é o expectador com duas obras para admirar.

under-dome-season-2

Participação mais do que especial