Início » Séries de TV » Séries: Shadowhunters

Séries: Shadowhunters

shadowhunters-posterEsta semana, mais precisamente no dia 12 (e no dia 13 na Netflix brasileira), estreou a série Shadowhunters, produzida pela Freeform (antiga ABC Family) e baseada na série Os Instrumentos Mortais, da autora Cassandra Clare. Eu assisti ao primeiro episódio e dou agora minha opinião – faço uma longa pequena introdução nos dois próximos parágrafos, e, caso queriam ler direto a opinião propriamente dita sobre a série, cliquem no ler mais e pulem esses parágrafos que apenas ajudam a entender minha opinião.

A verdade é que sou uma fã tardia da série. Após o ver o filme e ouvir os comentários da minha irmã e de amigos, decidi ler o primeiro livro. Amei, li o segundo. Fui perdendo o fôlego. Demorei meses para ler a segunda parte da série (3 últimos livros). Voltei a ler e, enfim, terminei. Não foi um grande amor, tive várias críticas à história – as quais eu talvez não tivesse caso lesse tão logo fora lançada -, mas gostei ao ponto de me interessar por extras e correr atrás de blogs, tumblrs e outros perfis voltados à saga.

Nesse meio, li sobre as primeiras notícias da série de televisão que contaria com 13 episódios e não estaria sujeita à aprovação do piloto. Acompanhei a escolha de atores, criei expectativas de que seria muito superior ao filme. Em seguida vieram as informações sobre os roteiros, disponibilizados a alguns poucos leitores da saga (sobretudo responsáveis por grandes sites/blogs especializados) e, claro, à autora. Cassandra Clare sempre foi respeitosa com os produtores, mas nunca deixou de destacar que não possuía poder algum sobre os rumos da série. Os fãs, por sua vez, criticaram elenco – eu tinha gostado inicialmente, mas li várias pessoas preferindo o elenco do filme – e roteiro. O primeiro roteiro foi alterado para agradar mais ao público. O segundo teve uma melhor recepção, mas ainda contava com grandes – e importantes – modificações. Então vieram os teasers, dos quais não gostei muito exceto pela música. E tudo isso fez com que minha expectativas, antes altas, diminuíssem drasticamente.

Desculpem-me pela longa introdução, mas precisava explicar tudo isso para que vocês entendessem o que eu achei do primeiro episódio da série. Quando minha irmã me falou que já estava na Netflix, eu corri para ver não mais com a expectativa de que seria uma grande adaptação, mas com a ideia de que talvez se assemelhasse a uma série adolescente. E assim, fiquei surpresa e talvez tenha até gostado – não consigo identificar, somente neste primeiro episódio, se gostei pela série ou porque não era tão ruim quanto eu esperava.

Quanto à história, eu achei que seria mais romance adolescente do que foi, o que não significa que não tenha sido um tanto meloso. Houve cenas que foram feitas de uma forma um tanto infantil, das quais quase ri – cena final da Clary, por exemplo. E as atuações não ajudaram muito na maturidade da série. Adorei o ator que interpretou o Simon (Alberto Rosende). Simon é meu personagem preferido no livro, junto com a Izzy, e eu tinha amado os respectivos atores do filme. Fiquei feliz de enxergar um Simon nele. Já a atriz principal, Katherine McNamara pareceu deixar a Clary muito infantil, fazendo umas caras desnecessárias ou exageradas e falsas demais em algumas cenas. Harry Shum Jr. ficou ótimo de Magnus – melhor do que o da minha imaginação. Ele conseguiu captar a excentricidade e o poder do Alto Feiticeiro do Brooklyn. Emeraude Toubia, como Isabelle, não foi ruim, ela apenas deu mais destaque ao lado fútil da personagem do que ao seu lado frio – o sangue de Maryse Lightwood pede para aparecer -, muito provavelmente em função das mudanças da adaptação, o que resultou numa personagem que parece deslumbrada. Assisti a um Sneak Peek e acho que mais da personagem poderá ser visto nos próximos episódios – e a Emeraude estava bem Isabelle nele. Os outros personagens – inclusive o protagonista Jace – não mereceram comentários negativos,  positivos ou neutros desde logo.

O grande ponto negativo da série, porém, foram os efeitos. Eles foram péssimos. O sangue dos demônios pareciam fogos de artifício. Se eles tivessem alterado a história para dizer que demônios evaporam em uma nuvem de brilho que imita lava digital, eu entenderia. Porém, eles não mudaram. Sangue de demônio continua sendo um sangue venenoso, apenas com essa aparência terrível. Os demônios em si também deixaram a desejar. E os efeitos de interação entre personagens humanos/nephlim entre si e com os demônios também não foram razoáveis.

E apesar de tudo isso, eu acho que teria certeza em afirmar que gostei um pouco do primeiro episódio, se eu não tivesse lido os livros. As mudanças foram muitas, e a ideia de que algo estava muito errado pipocou várias vezes em minha mente. Eles ofuscaram a mitologia de Cassandra com tecnologia em excesso (tudo é tecnológico na série, e o instituto de NY é quase um centro de inteligência da CIA e não um instituto habitado por pouquíssimos caçadores). Eles mudaram personalidades – Izzy e Jocelyn. E eles adiantaram e mudaram alguns fatos do livro, embora tenham o crédito de tentar colocar cenas quase idênticas – na medida do possível em virtude das alterações principais – e não se distanciar tanto da história original como em outras séries, a exemplo de The Vampire Diaries.

À parte as cenas melosas e infantis e os efeitos ruins, a série tem uma boa trilha sonora e talvez tenha tido um bom primeiro episódio para quem não se apega tanto aos detalhes dos livros, por isso, ao menos neste momento, recomendo que assistam. Quem sabe semana que vem eu tenha uma visão mais clara sobre o que penso da série.

Anúncios

Um pensamento sobre “Séries: Shadowhunters

  1. Pingback: Séries :: The Shannara Chronicles | Cantar em Verso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s