Início » Filmes » Filmes :: Mary & Max – Uma Amizade Diferente

Filmes :: Mary & Max – Uma Amizade Diferente

Título: Mary & Max – Uma Amizade Diferente

Diretor: Adam Elliot

Ano de Lançamento: 2009

Gênero: Animação, Comédia, Drama

 

Sinopse: Mary Daisy Dinkle (Toni Collette) é uma menina solitária de oito anos, que vive em Melbourne, na Austrália. Max Jerry Horovitz (Philip Seymour Hoffman) tem 44 anos e vive em Nova York. Obeso e também solitário, ele tem Síndrome de Asperger. Mesmo com tamanha distância e a diferença de idade existente entre eles, Mary e Max desenvolvem uma forte amizade, que transcorre de acordo com os altos e baixos da vida..

Há muito tempo não via uma animação que me emocionasse tanto. A maior parte das animações atuais são voltadas ao público infantil e trazem, de forma sutil, alguma mensagem importante. Esta, no entanto, deixa sua sutileza apenas na forma da animação.

Mary e Max é um filme único, capaz de retratar, através de uma imagem obscura, em tons de cinza e marrom, a realidade de duas pessoas não tão diferentes, ainda que uma delas tenha a Síndrome de Asperger. Esta síndrome, já retratada em alguns livros famosos como “Querido John” e “Projeto Rosie”, caracteriza-se por ser um transtorno do espectro autista. A relevante problemática é levantada através do isolado Max, um homem incapaz de demonstrar os verdadeiros sentimentos e acometido por atos de ira. Mary, então, surge como uma oportunidade na vida de Max. Através de cartas enviadas, inicialmente por aleatoriedade, a Max, ela se aproxima de ser sua primeira amiga. Ocorre que Mary é apenas uma criança de oito anos exposta a um cenário familiar conturbado (pais com casamento em crise e mãe alcoólatra) e a uma sociedade extremamente exigente com a beleza e uma menina que descobre que seu futuro pode ser muito semelhante ao de seus próprios pais, apesar de todos os sonhos que um dia possuiu.


Os dois seguem suas vidas sem nunca se encontrarem, perdendo por vezes até mesmo o contato, ambos entregues às inúmeras tragédias que marcam esta trajetória, casamentos, filhos e mortes.

“Mary & Max” emociona porque aborda que existem inúmeras maneiras de nos entregarmos à solidão, o que é aumentado pelo tom sóbrio da animação (um contraste entre a sutileza da ausência de atores reais e infantilização do método, com o teor melancólico e, por vezes, pesado do enredo.)

Ao fim, a certeza de que não podemos ignorar quem somos, pois a fuga é o caminho para se chegar àquilo de que fugimos, e a mensagem de que a amizade, ainda que não possa nos proteger de todas as tristezas, fornece-nos um abrigo na hora em que mais precisamos.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s