Início » Livros » Resenhas :: Persuasão

Resenhas :: Persuasão

Eu conheci Jane Austen quando ainda frequentava o colegial, a primeira obra dela que eu li foi Orgulho e Preconceito, seu trabalho mais conhecido – e por muitas razões Austen foi uma das responsáveis por me apaixonar pela literatura. Eu agradeço muito a Silviane Casemiro por ter me indicado esse livro no projeto Está na estante, não leu? Seu amigo escolheu! Eu fui convidada para participar desse projeto, e ele consiste basicamente em ajudar pessoas a lerem os livros que estão parados em suas estantes – adorei a ideia e logo quis participar, portanto estou aqui para resenhar o livro que a algum tempo estava intocável na minha estante. Confesso que estou atrasada com a resenha, porque acabei lendo outros livros depois de Persuasão, então aqui está a minha analise de um livro que eu conheço a tão pouco tempo, mas que já se tornou o meu amor antigo.

 

   Título: Persuasão
   Autor: Jane Austen
   Editora: Martin Claret
   Páginas: 241
   Onde costumo comprar (Opções de livro   impresso):     Cultura;Submarino;Americanas

Sinopse: Persuasão – Jane Austen (1775-1817) é uma das mais celebradas representantes da literatura inglesa. Ao longo do tempo, sua obra permanece suscitando grande interesse nos meios acadêmicos, gerando estudos das suas várias dimensões, como, por exemplo, a estética e a histórica. Em 2008, a BBC divulgou uma pesquisa na qual o livro Orgulho e preconceito – um dos mais populares, no mundo inteiro, desta autora – foi votado como o preferido dos britânicos, e igual sucesso têm experimentado as inúmeras adaptações para o teatro, cinema e televisão, de toda a obra de Austen. Além de constituir um vívido retrato de época, com as convenções e costumes da sociedade rural inglesa do começo do século XIX, Persuasão – o último romance que Austen escreveu, publicado postumamente em 1818 – conta a bela e sedutora história de Anne Elliot e Frederick Wentworth, os quais, oito anos depois do rompimento de seu noivado, reencontram-se, todavia em circunstâncias bem diferentes daquelas do passado.

 

Como Persuasão foi a última obra publicada por Jane Austen em vida, vemos que esse é um livro bastante maduro comparado as obras anteriores da autora. A narrativa gira em torno dos Elliots, família de linhagem antiga e nobre, porém que se encontra com evidente crise financeira. Sir Walter Elliot e sua filha mais velha Elizabeth são pessoas vaidosas e orgulhosas, incapazes de tomar responsabilidade por suas ações e alterar seu estilo de vida luxuoso em meio a sua atual situação. Logo vemos a nossa protagonista, segunda filha de Sir Elliot, Anne em uma posição delicada – qualquer alteração drástica no estilo de vida dos Elliots seria uma vergonha mortal para Sir Elliot e Elizabeth, portanto era necessário que fosse escolhido a opção que desse a família o mínimo de dignidade. Portanto a situação foi resolvida da seguinte forma; os Elliots alugariam a sua casa para uma outra família, se mudariam para uma cidade com um custo menor de vida, porém para uma casa que lhes oferecesse todo o luxo que sua posição dependia. A principio Anne não fica muito feliz com essa escolha, já que para ela seria muito fácil se desprender do luxo de sua família e viver de maneira mais modesta, porém ela se resigna aos desejos dos parentes.
A resignação é uma das características mais marcantes de Anne Elliot, tanto que é por essa razão que o livro é intitulado Persuasão. Anne por muitos motivos difere de outras protagonistas apresentadas por Jane Austen – sua personalidade amável e prestativo é por muitas vezes explorado por aqueles que estão ao seu lado, em particular pela própria família. O pai e as irmãs  de Anne além de considerá-la alguém sem beleza ou atrativos, exploram de sua boa vontade sempre que podem, tornando ela mais uma empregada do que um membro da família. Porém apesar da situação lamentável que Anne se encontra, ela não parece necessariamente infeliz com a sua condição – sua resignação aos caprichos da família são passados de maneira tão natural que eu dificilmente me vi indignada com os acontecimentos passados pela personagem no livro. Era como se sua personalidade gentil fosse algo que a livrasse de ter a personalidade desagradável dos demais Elliots – como uma Cinderela se adaptando continuamente em um ambiente hostil.

 

Antes (…) não podia haver dois corações tão abertos, gostos tão parecidos , sentimentos tão uníssonos, rostos tão bem-amados. Agora eram como dois estranhos; pior do que estranhos, pois jamais poderiam relacionar-se. Seriam perpetuamente dois estranhos.

 

Persuasão portanto trás em seus capítulos um clima bastante melancólico, principalmente porque Anne terá de reencontrar alguém que um dia já havia sido o homem que ela amava – capitão Wentworth; marinheiro recém chegado da guerra. Quando Anne tinha 19 anos ela assumiu um compromisso com um jovem marinheiro chamado Wentworth, porém como ele era um rapaz sem riquezas ou perspectivas, Anne foi persuadida a romper o noivado com ele. Essa escolha trouxe consequências para ambos os personagens; Wentworth foi para a guerra e voltou para o país com riqueza e título de capitão, enquanto Anne passou seus anos a servi a família e lamentar o seu rompimento com o homem que amava. Oito anos depois, por obra do destino ou do azar, a família que decide alugar a casa dos Elliots são parentes do capitão Wentworth; e Anne acredita que voltar a estar ao lado dele, sem na verdade está, afinal nesse momento ambos são piores do que estranhos, será um castigo para ela. Porém esse foi um dos momentos que eu mais me surpreendi com Anne, pois em vez se desesperar pela frieza do capitão Wentworth, ela mais uma vez se resigna a sua condição, demonstrando para si mesma que ela pode controlar os seus próprios sentimentos – esse seu comportamento foi mais um motivo para que eu me simpatizasse ainda mais por essa personagem.

 

– Mas odeio ouvi-lo falar como um cavalheiro delicado e como se todas as mulheres fossem delicadas, e não seres racionais. Nenhuma de nós espera navegar por águas calmas a vida inteira.

 

Apesar da presença constante da melancolia, esse livro está longe de ser uma leitura desagradável para aqueles que apreciam o desenvolvimento de um bom romance. Persuasão está repleto de temas que não se encontram em outros livros de Jane Austen; como o reencontro de duas pessoas que um dia já se amaram, a lamentação do tempo passado e das oportunidades perdidas, da remota imagem da juventude – tudo isso me fez refletir que essa era a verdadeira situação em que Jane Austen se encontrava durante a construção dessa obra. Austen morreu pouco depois de concluir Persuasão e por muitas razões eu acredito que essa seja a obra que mais marcou a minha vida.

ana

 

Anúncios

5 pensamentos sobre “Resenhas :: Persuasão

  1. Pingback: Os 10 melhores livros lidos em 2015 | Cantar em Verso

  2. Jane, decididamente é uma autora que preciso conhecer seja por curiosidade, seja por ter recebido muitas indicações de pessoas próximas a mim e que afirmam que vou amar a escrita dela e as tramas criadas. As pessoas sempr falam que tenho que ler Orgulho e Preconceito, mas sua resenha e o comentário da Ju Xavier me dizem para começar por Persuasão, fiquei muito curiosa para conhecer Anne Elliot e descobrir a se apesar de ser tão resignada consegue viver um grande amor e como ela lidou com o Capitão. Tomara que tenha acontecido alguma coisa entre eles , amo romance clichê ou não, amo sempre.

    Beijos
    Tânia Bueno
    http://www.facesdaleitura.com.br

  3. Adoro os livros da Jane Austen que já li, e esse é de longe o meu preferido. Acho que se tornou o seu também, não conheço mais ninguém que ame tanto Persuasão quanto nós duas… rs… A Anne me tocou tanto! Ela tem mesmo uma capacidade de resignação impressionante, e torci bastante por um final feliz para ela. Lendo sua resenha me deu uma vontade incrível de pegar meu livro na estante e reler… acho que não vou resistir muito tempo a isso.

    Beijo!

    Ju – Entre Palcos e Livros

  4. Olá, já ouvi muito diversas pessoas e blogs falarem da Austin, principalmente comentar a sua obra mais famosa e falar sobre o filme também. Tenho vontade de ler esta obra e ver se o que as pessoas comentam é verdade. Interessante ler um livro que foi o ultimo que a autora escreveu, e pelo que você conta na resenha, me pareceu interessante essa narrativa. Espero que algum dia possa dar chance e conhecer a escrita da Austin, obrigada pela dica.

  5. Olá!!
    Poe incrível que pareça ainda não li nada da Austin, até tentei ler orgulho e preconceito uma vez, mas a edição era bem antiga e tive dificuldades em desenvolver a leitura e abandonei.
    Mesmo assim não desistir, pretender tentar novamente tanto orgulho e preconceito como outros títulos, pois tenho certeza que a escrita dela é maravilhosa e pela sua resenha persuasão sera um livro que ira me envolver completamente!!
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s