Início » Livros » Resenhas :: Trilogia Destino

Resenhas :: Trilogia Destino

Hoje não vou fazer resenha de apenas um livro, mas de toda uma trilogia. Não sei vocês mas eu acho muito mais fácil falar de uma trilogia/saga após ler todos os livros. Tentei fazer a resenha individual, mas não deu muito certo pois acabava colocando alguns spoilers e quero deixar o texto spoiler free (para quem não leu nenhum dos livros sugiro que pule a sinopse de Travessia e Conquista).

Título: Destino

Autor: Ally Condie

Editora: Suma de Letras

Páginas: 240

Onde costumo comprar (Opções de livro impresso): Buscapé

Sinopse: Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander – bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.

 

Título: Travessia (Destino #2)

Autor: Ally Condie

Editora: Suma de Letras

Páginas: 280

Onde costumo comprar (Opções de livro impresso): Buscapé

Sinopse: Em busca de um futuro que pode não existir e tendo que decidir com quem compartilhá-lo, a jornada de Cassia às Províncias Exteriores em busca de Ky – levado pela Sociedade para uma morte certa –, mas descobre que ele escapou, deixando uma série de pistas pelo caminho. A busca de Cassia a leva a questionar o que é mais importante para ela, mesmo quando vislumbra um diferente tipo de vida além das fronteiras. Mas, à medida que Cassia tem certeza sobre o seu futuro com Ky, um convite para uma rebelião, uma inesperada traição e uma visita surpresa de Xander – que pode ter a chave para revolta e, ainda, para o coração de Cassia – mudam o jogo mais uma vez. Nada é como o esperado em relação à Sociedade, onde ilusão e traição fazem um caminho ainda mais confuso.

 

Título: Conquista (Destino #3)

Autor: Ally Condie

Editora: Suma de Letras

Páginas: 360

Onde costumo comprar (Opções de livro impresso): Buscapé

Sinopse: Em uma Sociedade que não permite escolhas nem imperfeições, um pequeno erro pode ser o elemento que faltava para iniciar uma revolução. ‘Conquista’ é a continuação de Destino e Travessia. No livro, a autora retoma a história de Cassia Reyes, jovem que pertence a uma sociedade controlada por um Estado totalitário ainda que nele não haja pobreza e a população tenha acesso a direitos básicos, como alimentação, moradia e emprego. O futuro de Cassia não poderia ser mais incerto agora que ela resolveu seguir para as sombrias Províncias Exteriores, campo de extermínio dos cidadãos banidos pela Sociedade. Ela está à procura de Ky Markham, com quem desenvolveu uma relação proibida, e que havia sido aprisionado, com um destino que se encaminhava para a morte certa.

Comprei a trilogia Destino no Submarino por um preço super camarada, sem nenhuma expectativa, sem nem ao menos ler a sinopse. Confesso que nem da capa eu gostava na época em que comprei, mas pelo valor (acho que cada livro saiu por R$6) eu não consegui resistir.

Talvez seja por isso que a trilogia me agradou tanto. O livro se trata de uma distopia e o triangulo amoroso clichê está muito presente, mas ao contrário do que possa parecer ele não é chato. Conforme o leitor devora as páginas – afinal a narrativa é simples e bem fluida – é possível entender que o triangulo amoroso não é apenas um fator que (possivelmente) está ali apenas para atrair a atenção das leitoras mais românticas e sim para nos mostrar a importância do livre arbítrio, a importância de amar independente da situação e saber, sim, diferenciar os tipos de amor.

Cássia é uma garota totalmente alienada em sua Sociedade. Sempre seguiu as regras, sempre as aceitou. Esperava ansiosa pelo dia do seu Banquete de Par, onde iria conhecer seu futuro marido. É mentira dizer que ela ficou surpresa quando o rosto que apareceu na tela é de seu melhor amigo, Xander.

Xander e eu não só frequentamos a mesma escola, como moramos na mesma rua. Somos melhores amigos desde que me entendo por gente. Não preciso de um micro cartão para me mostrar imagens de Xander na infância, porque tenho muitas na minha cabeça. Não preciso baixar uma lista de favoritos para decorar, porque já sei quais são. Cor favorita: verde. Atividade de lazer favorita: natação. Recreação favorita: jogos.

Nada são flores e nos dias que seguem seu Banquete de Par Cássia descobre que houve um erro na sua classificação. Seu par é outro. Seu par é uma aberração. Não apenas uma aberração qualquer, mas Ky, que por coincidência também é um amigo de infância.

Durante o primeiro livro acompanhamos o processo – bem lento, na verdade – de Cássia para descobrir a verdade sobre a Sociedade. Não em uma luta contra ela, apenas alguns simples atos de rebeldia como ter um poema (arte em geral é proibida pela Sociedade), aprender a escrever, assim como a descoberta do amor. Cássia tem medo, mas é curiosa. Tem dúvidas, mas não as deixa de lado simplesmente: Ela se questiona. Tenta entender, descobrir mais. É certo que, como toda personagem de qualquer livro, tem aquele momento que irrita o leitor a odeia mas tão logo esse ódio se vai em meio aos seus protestos silenciosos.

E Xander? O que falar de Xander? É um personagem que, inicialmente, fica apagado… Até deixado de lado, mas que durante o segundo livro e principalmente o terceiro ganha um papel essencial na trama toda. Ele é o tipico personagem  que ninguém espera nada, ou se espera não é nada de bom, e ele nos surpreende com a sua maturidade, sua forma de amar, sua fidelidade com os amigos. 

Xander sorri, e na expressão dele eu vejo surpresa e esperteza e alegria, tudo misturado. Eu surpreendi Xander — e a mim mesma. Eu o amo de um jeito que talvez seja muito mais complicado do que eu pensava.

Ky, por sua vez, não deixa de ser um bom personagem. Acho que eu tenho até a obrigação de parabenizar Ally por criar três personagens tão simples e ao mesmo tempo complexos, facilmente adoráveis. Apesar de Ky ser, dos três, o que eu gosto menos ele não deixa de ser amado. No fundo acho que eu tenho dó dele, mas tudo bem. O garoto é uma aberração, sofreu a perda dos pais, e a sociedade o condenou a ser seu escarnio e ainda sim ele não sente raiva, ele não tem desejo de acabar com a sociedade e se tornar um rebelde. Mesmo quando a sociedade o mandou para a morte tudo que ele fez foi querer sobreviver, mas sem ódio.

Verde: Para te manter calmo. Azul: Para sobreviver em caso de emergência. Vermelho: Para esquecer.

Verde: Para te manter calmo.
Azul: Para sobreviver em caso de emergência.
Vermelho: Para esquecer.

Uma das coisas que eu mais gosto nas distopias é no modo como o governo dominante acredita que esta fazendo o certo para a humanidade. Sabe aquela velha história de que nós precisamos acreditar nas nossas próprias mentiras? Pois bem. Quanto mais a sociedade acredita que faz o certo, mais os personagens (nesse caso Cássia) mantem duvidas sobre o que é errado. E eu posso estar errada em ver sentido em algumas coisas, como por exemplo quando nos é explicado que as gerações passadas (a nossa, obviamente) que é culpada pela destruição do mundo como nós conhecemos. As inúmeras guerras e desigualdades são fatores que, em todas as distopias que eu li, levaram ao colapso do mundo e tendo como consequência pessoas achando que sabe fazer o certo para nos consertar.

Uma das coisas que mais me agradou na trilogia Destino foi como a autora deu proporção aos personagens. Em Destino temos Cássia, como a única narradora. Em Travessia, temos Cássia e Ky; O que foi excelente, visando que a história ficaria muito massante se fosse apenas Cássia, já que boa parte do livros temos a sua busca por Ky. Sem esquecer, claro, na importância que é para o entendimento da revolução a narrativa de Ky, assim como seus diálogos com seu amigo Vick que trás uma carga de informações que dificilmente teriamos de Cássia. Já em Conquista temos Cássia, Ky e Xander. Nessa altura do campeonato qualquer coisa que eu disser pode ser um spoiler, mas acho que a partir do momento em que os três estão narrando, os três se conhecem desde a infância e o três estão no tumulto da Sociedade x Revolução é bem óbvio que eles vão se encontrar em determinado ponto da narrativa. E, queridos leitores, acredito que esse foi o ponto alto de toda a trilogia. É magnifico ver um triangulo amoroso junto, mas sem a carga pesada da escolha da protagonista. Sem aquele drama “ela não me ama”, “eu amo os dois” e blá, blá, blá pois a coisa toda tá pegando fogo, as pessoas estão morrendo e eles precisam deixar de lado esse pequeno detalhe – que se torna sem importância – de lado para ajudar, como pode (já que eles não são essenciais para a revolução).

— É solitário — diz Xander.
— O que é solitário? — pergunto. Ele quer dizer que é solitário no laboratório de pesquisas, agora que Oker se foi?
— A morte — explica ele. — Mesmo se alguém está com você, você ainda tem que morrer de verdade sozinho.
— É solitário — admito.

Fazendo uma resenha da trilogia inteira é muito difícil selecionar apenas alguns pontos para dar destaque sem spoiler. Gostaria de poder explicar os motivos que levaram Cássia a se questionar sobre a Sociedade (não foi apenas por causa da foto de Ky no seu cartão do par), mas falar sobre isso é necessário um texto cheio de explicações e possivelmente spoilers. Falar apenas por cima pode não fazer sentido, ou até mesmo ficar confuso. É um pequeno detalhe da história que vai fazendo cada vez mais sentido enquanto as páginas vão passando, assim como as sequencias. A única dica que posso dar é: Arte. Poema, principalmente.

Não entre docemente naquela boa noite,
A velhice deve arder e delirar ao fim do seu dia;
Revolte-se, revolte-se contra o apagar da luz.
Embora os sábios, ao morrer, saibam que a escuridão é o certo
Porque suas palavras não provocaram centelhas, eles
Não entram docemente naquela boa noite.

— Dylan Thomas, 1914-1953.

Indico trilogia Destino para todos os amantes de distopia. Os livros estão sempre com um preço baixo no Submarino, então vai valer a pena. Para finalizar deixo algumas frases que marquei durante a leitura.

Há mais coisas a serem ditas, mas estamos aprendendo a falar.

— É difícil fazer essa travessia — digo a ele, com voz trêmula.
— Que travessia? — ele pergunta.
— Pra ser a pessoa que eu preciso ser.

Escalo no escuro por você
Você está me esperando nas estrelas?

Algumas vezes, senti raiva do Vovô por não me contar qual poema exatamente queria que eu encontrasse. Mas agora vejo o que ele me deu. Ele me deu uma escolha. É isso que sempre foi.

Ally Condie é ex-professora de Inglês do ensino médio. Abandonou a profissão para se tornar mãe em tempo integral e, a partir daí, começou a escrever por hobby. Antes de Destino, publicou cinco outros romances para jovens. Atualmente vive com o marido e seus três filhos nos subúrbios de Salt Lake City, Utah.
Anúncios

35 pensamentos sobre “Resenhas :: Trilogia Destino

  1. Diferente a sua ideia de fazer a resenha da trilogia completa,ficou bem legal!!!

    Eu amo distopias,mas não me interessei nenhum pouquinho por esa,não sei se foi a capa,ou as resenhas que li na época do lançamento,não sei,impliquei com ela desde o início e acabei deixando de ler.

    Gostei muito da sua resenha,mas a personagem principal parece ser apaga e altamente manipulável e por esse e outros motivos vou mais uma vez passar a leitura.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

  2. Olá Silviane! Tudo bem?
    Ual mais que resenha persuasiva! Meus parabéns \o/
    Bem,eu sempre vejo essa distopia com ótimos preços na submarino,mas ai lembro dos vários livros aqui em casa e leituras atoladas,fico desesperada e desisto de comprar.
    Mas quando li essa resenha a curiosidade chamou a atenção! Eu adoro distopias e faz um tempinho que não leio nenhuma obra distópica hehehehe quem sabe quando eu não terminar os que comprei em 2014 vou me aventurar nessa trilogia?
    Parabéns pela resenha.
    Beijos Pão de Queijo!

  3. Oi Sil,

    Achei legal esta sua ideia de fazer a resenha da trilogia inteira, é muito difícil realmente fazer a resenha de cada livro individualmente sem soltar spoiler. Eu ainda não conhecia esta distopia e adorei saber sobre ela através da sua resenha. Bom, ela vai para minha lista, mas para ser adquirida em um prazo bem longo por ser trilogia e por eu estar bem atrasada com as minhas leituras.

    Beijos
    Tânia Bueno
    http://www.facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

  4. Olá, tudo bem?
    Essa trilogia sempre me chamou atenção, primeiramente pelos preços. Depois pela capa que é bem simples, mas que eu acho linda ❤
    Se eu já tinha intenção de ler, depois da tua resenha. É meta para 2015.
    Eu acho que tenho que parar de ler resenhas, quero pôr tudo na meta. Vai ser frustrante se eu não conseguir 😥

    Beijooos!

  5. Oi Sil, tudo bem
    Eu também comprei a trilogia em uma promoção do Submarino, risos… Ainda não tive tempo de ler e adorei saber que é uma distopia (confesso que também não tinha lido a sinopse quando comprei) e que os personagens são complexos. Algo que disse me chamou a atenção: acreditar nas nossas próprias mentiras. Um questionamento que sempre gera polêmica. Acho que vou adorar essa história!!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

  6. Oi flor, tenho algumas séries, trilogias e duologias aqui na estante e fico pensando se quando for ler, vou resenhar um de cada vez, ou se tudo junto, deve ser bem dificil resenhar todos juntos sem spoiler, não sei se conseguiria não.Acho que vou resenhar um de cada vez,kkkk.

    Mas enfim,não sei se leria a trilogia, apesar dela ter me lembrado um pouco jogos vorazes quando comecei a ler sua resenha, talvez por ser uma distopia também,sei lá, não sei porque pensei nisso.

    Gostei da sua resenha, você foi corajosa em resenhar os 3 juntos. Anotei aqui, quem sabe mais pra frente tomo coragem.

    bjs

  7. Amei sua resenha!!! Tem um tempo que quero ler essa trilogia, já que adoro distopias de diferente de você no início eu amo essas capas. Mas confesso que não sabia ao certo do que se tratava a história. Gostei de ficar ciente do romance clichê, já que não sou fã de nenhum dos dois, mas pleo oque você falou não é aquela coisa chata. Aguçou muito mesmo minha curiosidade, vou comprar em breve com certeza hahahahaha
    Beijos,
    http://www.thousandlivestolive.com/

    • Oi, Gab!
      Infelizmente não falei muito da história, pois se tratando de uma resenha tripla seria como dar muitos spoilers. Mas realmente a história é muito bacana e para os amantes de distopia acho que vale muito a pena.

      Beijos.

  8. Oi Sil, tudo bem?
    Nossa, quanta resenhas legais ❤
    Eu tinha curtido a premissa desses livros na realidade. Minha onda é distopia, mas alguns amigos leram e não tiveram uma boa experiencia, me contando que a narrativa era um pouco puxada demais. Ai eu meio que esfriei. Não sei hoje se ainda teria coragem de ler, não bateu ainda vontade de tentar despertar minha própria opinião. Mas ainda acho as capas um tanto tosquinhas KKKKKKKKKKKKK talvez seja mais um motivo de eu não me aventurar

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    • Oi, David.
      Eu também nunca gostei das capas dessa trilogia, parece que não tem nada a ver mas durante a história da até para entender os motivos de ela ser assim. A distopia é bem legal e acho que vale a pena, apesar do romance ser um pouco puxado as vezes tem vários pontos que me fizeram refletir – o que em outras eu nunca havia pensado da mesma forma.

      bjs

  9. Eu amo distopias, tenho esses livros, mas infelizmente ainda não consegui ler. Só digo uma coisa: eu nunca acho um triângulo amoroso magnífico… hehe… nem sabia que tinha isso e confesso que dei uma desanimada por saber, mas ainda lerei, só não tenho a menor ideia de quando.

    Beijo!

    Ju – Entre Palcos e Livros

  10. Oi Silviane, tudo bem? Gostei bastante de você ter feito a resenha dos três livros. Tudo bem que algumas coisas não ficam muito bem explicado, mas dá para ter uma ideia geral sobre a trilogia. Eu tenho o primeiro livro, e não estava muito animada para ler, mas depois de algumas opiniões de amigos eu fiquei com certa curiosidade, e como eu adoro distopia, vale a pena dar uma chance. Achei interessante essas mudanças na narração em primeira-pessoa ao passar dos livros. Que bom que se surpreendeu com a leitura.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima
    http://vamosfalarlivros.blogspot.com.br/

  11. Oieee, tudo bem? Então, eu nunca experimentei fazer uma resenha de uma série de uma só vez, gosto de fazer as resenhas separadas assim eu falo mais de cada livro, mas eu adorei a dica, algumas séries são difíceis de resenhar separadamente e eu nunca tinha pensando em fazer uma resenha deste tipo, adorei a dica. Sobre os livros eu tenho os dois primeiros que eu consegui por trocas, fiquei impressionado pelo pequeno preço que vc pagou, foi muito barato, eu amo distopias e já ouvi falar muito da série, por isso consegui os dois primeiros livros, espero gostar quando for ler rsrs, adorei sua resenha, Abraços.

    • Oi, Gustavo.
      Eu sou desastre para fazer resenhas de trilogias/séries, sempre me perco e acabo soltando spoilers. Como geralmente nas minhas resenhas eu foco nos personagens e evito falar da história, para me conter nos spoilers eu achei que foi uma boa ideia. Espero que nas próximas eu consiga expressar melhor meus sentimentos em relação ao livro.

      bjs

  12. Olá…. tudo bem???

    Nossa finalmente lendo uma resenha desses livros… não entendo como eles não fazem sucesso se eu gosto tanto deles… na verdade eu li Destino e Travessia em 2012… e esperei muito tempo por Conquista…. cheguei a ver o livro em inglês… então assim que lançou eu comprei, mas com tantos livros na frente terminei esquecendo…. então eu coloquei ele para ler em Janeiro do no que vem… e quero reler Destino e Travessia para resenhar melhor os livros… porque eu adoro essa série…. vou confessar que conheci a Distopia através de Destino e foi paixão a primeira leitura rsrsrs… Xero!!!!!

  13. Eu me encantei com essa trilogia desde a divulgação do primeiro livro. Amei a capa e comprei o livro no mês do lançamento…
    Por causa de tempo – e por preferir ler trilogias quando todos os livros estão disponíveis, acabei deixando ele de lado e uma amiga me pediu e eu dei. Mas ainda quero ler os três – e acho que aproveitei a mesma promoção que você no submarino, pois tenho os três e lembro que foi tipo de graça 🙂

    Beijinhos,
    Lica
    http://amoreselivros.com.br

  14. Oooi,

    Eu também prefiro falar de uma trilogia de uma unica vez, para não dar spoilers. Não li ainda, na verdade nem conhecia, e eu adorei. As sinopses me atrairam a capa também e sua resenha, fechou com chave de ouro!
    Adorei!

    Gostei de saber sobre a escrita da autora, não tenho o costume de ler distopias, mas estou mudando isso!
    Gostei do booktrailer. Obrigada pela dica ❤

    Beijinhos.
    http://www.entrechocolatesemusicas.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s